DEUS É JUSTIÇA E , PORTANTO, JUSTÍSSIMO

26/08/2012 10:23

No livro de Romanos, nos capítulos 5 e 6, o apóstolo Paulo disserta acerca das pessoas, estado, obras e herança que Adão, o primeiro homem criado por Deus na face da Terra e Jesus Cristo, chamado segundo e último Adão (por como o primeiro, gozar de um estado sem pecado e de não participar do que a Palavra de Deus chama de natureza do pecado, recebida pelo primeiro Adão pelo seu pecado de desobediência e deixada como herança genética e espiritual a todos os seus descendentes, dos quais Jesus Cristo se constitui em única exceção, pois tendo sido gerado de Deus pela ação do Espírito Santo, não recebeu a herança deixada por Adão).

               

Em sua comparação entre estas duas figuras centrais da Palavra de Deus (o primeiro por ser o pai de toda humanidade e ter sido criado como filho de Deus conforme diz em Lucas 03:38 e o segundo por ser Deus encarnado e o Salvador de Adão e de todos os seus filhos e filhas), Paulo coloca à luz os papéis por eles desempenhados na história da humanidade e demonstra como Deus agiu com absoluta justiça diante de toda Sua criação ao permitir que o pecado dominasse todas as gerações dos homens embora o pecado original tenha sido apenas de Adão, pois usando o mesmo princípio de justiça e equidade, também pelo ato de justiça de apenas um único homem que possuía o mesmo estado de ser sem pecado como fora criado o primeiro homem e que fora em tudo obediente a Deus (e, portanto, digno da mesma posição do primeiro Adão, que como primeiro homem e pai de todos como último ascendente está em posição de primazia com relação aos demais) não merecia qualquer tipo de castigo ou reprovação segundo a reta justiça de Deus, pôde, através de Seu sofrimento que padeceu nas mãos de homens injustos, tomar o lugar de todos os homens que, desde Adão, estiveram condenados à morte em razão de sua herança da parte de Adão (a natureza adâmica torna o homem desde sua concepção semelhante a Adão após o pecado quando este estava em estado de separação da presença gloriosa de Deus e agora como disse Deus a Caim, o pecado estaria à porta e o seu desejo seria contra o próprio bem de Caim que queria permanecer na  graça de Deus, mas que Caim teria que dominar este desejo pecaminoso, o que a História mostra-nos que tanto para Caim como para todos os demais filhos de Adão não foi algo jamais realizado).

Assim, Deus, usando os mesmos pesos e medidas em Sua justiça, condenou a toda a humanidade a eternidade separada de Sua Presença pelo pecado de seu pai, e pelos mesmos princípios, tornou a trazer toda à humanidade novamente à Sua Presença de Graça, amor e misericórdia com toda justiça, visto que Seu Filho Unigênito pagou o preço da desobediência de Adão e que gerou nosso estado de propensão ao pecado e pôde, assim,  nos gerar novamente para uma viva esperança de vida eterna na presença Daquele que é Santo e que só Ele tem a Imortalidade e vivi para sempre nos trazendo novamente à aquela condição de Adão de filho de Deus como está escrito:

"A SALVAÇÃO É PELA GRAÇA, MEDIANTE A FÉ, E ISTO NÃO VEM DE VÓS, É DOM DE DEUS. POIS SOMOS FEITURA DELE, CRIADOS EM CRISTO JESUS PARA AS BOAS OBRAS, AS QUAIS DEUS PREPAROU DE ANTEMÃO PARA QUE ANDÁSSEMOS NELAS" (Ef. 02:08-10).

 

 

             

Portanto meu amado, não te esqueças que em Cristo você é filho de Deus e herdeiro das promessas que Deus deixou aos Seus filhos de que estaria sempre ao nosso lado e que não nos deixaria e não nos abandonaria, ainda que os ventos soprem, ainda que os mares se transtornem e que as águas rujam e se perturbem, para n´s há um rio que alegra a Cidade de Deus (a Igreja), o Santuário das morada do Altíssimo, Deus está no meio dela e não será abalada´, pois Deus a ajudará ao romper da manhã (ou seja, desde o momento em que aceitamos a Jesus como nosso Senhor Suficiente Salvador, nós já podemos contar com o socorro Divino e gozar da comunhão com o Santo e Justo Deus).

ALEGRA-TE E REGOZIJA-TE, POIS, JÁ VEM A TUA SALVAÇÃO E A LUZ DA FACE DE DEUS VEM BRILHANDO SOBRE VOCÊ E D MANEIRA NENHUMA SERÁS CONFUNDIDO ENVERGONHADO POR DEUS EM SUA PRESENÇA.