EM BUSCA DA SABEDORIA DIVINA PARTE II

30/08/2012 10:15

 

O QUE ESTÁ LONGE E MUI PROFUNDO, QUEM O ACHARÁ? (Ec 07:24)

Quando se planeja uma viagem, as preocupações são muitas com as possibilidades de esquecermos algo importante ou até mesmo fundamental para realizarmos o objetivo que estamos buscando alcançar. Esquecer o óbvio é tão comum que todos ficam nervosos com os preparativos de suas empreitadas por "terras distantes", mesmo quando se trata de simples visita a parentes. Menos mal que no mundo moderno temos carros e celulares por onde podemos nos socorrer nesse momentos de desesperos. Até parece que tem um espirituzinho que se alegra em nos enrolar com os esquecimentos que volta e meia nos coloca em situações muito desconfortáveis junto aos amigos, colegas, familiares... e aí temos que suportar a famosa frase: "só não esquece da cabeça porque está grudada, senão...".

Bem, por isso fizemos nosso planejamento, nos aconselhamos com pessoas experientes nas áreas que precisamos trabalhar neste projeto (não precisamos ser sabe-tudo, pois só Deus sabe tudo) e agora estamos rumo ao porto para uma grande viagem e aventura em alto-mar! Claro que teremos algumas dificuldades a enfrentar até a saída, pois todo grande projeto acaba inspirando invejas e sentimentos facciosos e, aí, toda obra é má. Pessoas desconhecidas se aproximam, algumas com boas e outras com más intenções. Algumas oferecem ajuda e outras parecem repórteres atrás do grande furo jornalístico do ano, querendo saber tudo nos mínimos detalhes e aí meu querido, só Deus para dar discernimento de saber o que falar e a quem falar bem como de quem aceitar ajuda e de quem recusar e por quanto tempo devemos manter este comportamento. Poxa, parece mesmo que antes de encontrarmos a tal sabedoria de Deus já vamos precisar muito dela. Só Jesus para nos dar graça!

      

No porto e em meio a discussões se nosso projeto é importante ou não, se não é apenas um jogo de marketing pessoal e de toda a equipe, muitos questionamentos surgem mesmo nos corações dos que estão diretamente envolvidos no projeto e que são fundamentais para o cumprimento da missão. Questões como "o que me motivou a chegar até aqui?" e "será que estou no lugar certo, é isto mesmo que eu quero pra minha vida?" ou "bem, posso estar sendo manipulado pelos colegas e não estou vendo isso, será?" e pensamento do tipo "acho que não estou recebendo  devida importância, a maioria das pessoas só querem falar com o fulano que se diz o líder deste projeto. Hum, só porque teve a ideia não quer dizer nada, pois sem mergulhadores, ou sem tripulação, sem os operadores de telecomunicação, mesmo sem o pessoal que faz o serviço pesado, como chegaríamos aqui? Báh, agora tá falando demais sobre os patrocinadores e conversa demais...! começam a infernizar cabeças aqui e ali. Os inimigos estão lançando setas e mais setas para causar uma divisão tão grande que o projeto se torne inviável! Nesse momento é que se vê a importância de uma boa comunicação na ora de elaborar o projeto e que as informações iniciais e também as que forem sendo adquiridas com o desenvolver do projeto sejam claramente compartilhada por todos os membros da equipe e que todos tenham consciência de que somente um será o porta-voz da equipe para que não haja contradições e membros da equipe tendo crise de brios querendo se autopromover às custas do trabalho de todos. Por isso tanta gente tem dificuldade em trabalhar em equipe. Pois o resultado deve ser dividido entre todos e não entre este e aquele. Mesmo que algum tenha feito algum ato heroico e se arriscado a grande perigo pela equipe e missão, deve-se administrar a situação de forma a reconhecer esta atitude e não desmerecer o trabalho dos demais. Sabe, as vezes parece que Deus só se importa com quem está na frente dos projetos pois lemos na Sua Palavra sobre grandes feitos de homens que Deus escolheu para grandes trabalhos e pouco lemos sobre suas equipes e colaboradores, mas isto não é senão por conta do pouco espaço para se relatar o que Deus queria que fosse conhecido e para demonstrar que as pessoas que querem realizar grandes feitos terão que suportar grandes pressões e superar grandes obstáculos mesmo com a ajuda Divina, pois muitos pensam que Deus deve fazer tudo por que Ele pode realizar qualquer coisa que queira pois é o Todo-Poderoso Criador dos Céus e da Terra e de tudo que neles há (isto quer dizer que nada se desenvolveu ou evoluiu por conta própria), mas Deus nos ensina na Sua Palavra que não é assim, que o homem tem que estar preparado para enfrentar as situações adversar tal como um soldado enfrenta as batalhas na guerra por sua própria vida e pelas de seus companheiros, uma vez que sozinho seria bem mais facilmente morto ou capturado, Por isso saber viver em família e trabalhar com os demais cooperadores é fundamental para compreendermos o poder que a união das pessoas lhes transmite e como todos se tornam mais fortes quando estão unidos e cooperando uns com os outros sem pensar de maneira egoísta e hipócrita.

      

Com certeza é o momento de sentar e conversar mais uma vez e aparar as arestas que ficaram ásperas devido a muitas insatisfações com os comportamentos assumidos pelos membros da equipe durante sua despedida de familiares, amigos, patrocinadores, curiosos, repórteres, adversários de terra e outros que se ajuntaram para verem o Navio e seus intrépidos aventureiros partirem rumo a uma grande aventura que, se obter sucesso, trará grandes tesouros que enriquecerão a toda a comunidade. Verdade é que alguns comentaram que não precisam disso, outros que seria perda de tempo pois não seria nada fácil, outros que a equipe não era nada capaz por não estar participando da empresa e outros ainda não haviam entendido nada e falavam e comentavam sem nada dizer. Mas haviam pessoas que se envolveram pessoalmente e se comprometeram com a busca pela Sabedoria Divina, patrocinando, aconselhando, possibilitando conhecimento e negócios fundamentais para o andamento e estruturação de todo o projeto, sem contar familiares e verdadeiros amigos que tudo fizeram para apoiar e abriram mão do convívio somente para que esta missão tivesse pleno êxito.

Depois de algumas conversas e várias manifestações alteradas e nervos aflorando à pele, nossa equipe consegue chegar a um acordo e só então verifica que um dos mergulhadores desistiu, mesma coisa acontecendo com um dos operadores de comunicação e o braço direito do líder e idealizador da ideia. Agora só restavam dois mergulhadores (o número já era pequeno com três mergulhadores), um operador de comunicações, dois para o trabalho do equipamento, um jovem aprendiz que se mostrara interessado na viagem e que ajudara discretamente (seus dois colegas que eram mais comunicativos e dinâmicos foram ao porto somente para se despedirem e deixaram-no sem dar explicações partir sem sua companhia) e o líder que só entendia de administrar e planejar (não era da parte técnica ou operador de equipamentos). Fora eles, a tripulação e seus comandantes. Mas a decisão fora tomada. Eles prosseguiriam confiando em Deus e na Sua Providência e capacitação!!

         

Bem, no dia seguinte, todos madrugaram e cedo estavam navegando rumo a aventura que todos esperava mudaria sua vidas para sempre, para melhor ou pior. Somente o resultado da missão responderia qual seria a mudança e em quais deles seria boa ou ruim e se todos voltariam vivos às suas famílias. O navio apitou mais uma vez já saindo da vista dos portuários e não era mais momento de desistências.

 

 

                

                                                                               Enfim rumo à grande aventura!!